• Post category:Expansão

Postos de trabalho irão crescer 3,7% ao ano até 2024, mas produtividade continua a baixar

Postos de trabalho irão crescer 3,7% ao ano até 2024, mas produtividade continua a baixar

A criação de emprego em Angola deverá manter-se com uma taxa média anual de crescimento de 3,7% até 2024, mas o aumento “contínuo” do número de postos de trabalho não se traduz em maior produtividade, conclui um estudo da Ernst & Young (EY).

O relatório analisa o mercado de trabalho angolano e identifica as profissões nas áreas de agricultura e saúde, e operadores de máquinas, como as que mais vão ser necessárias nos próximos quatro anos.

À excepção do sector da Energia e Águas, que registou um aumento médio de produtividade de 6% desde 2012, o estudo prevê que a produtividade vai baixar nos próximos 4 anos, com particular incidência nos transportes e armazenamento e no sector de alojamentos e restauração, com taxas de crescimento negativas de 7% ao ano. A taxa é calculada com base no quociente entre o Valor Acrescentado Bruto (VAB) e o emprego gerado em cada sector.

Os elevados níveis de informalidade justificam em parte a baixa produtividade, já que limitam e, por vezes, distorcem a análise dos indicadores estatísticos. O processo de formalização da economia pode “provocar enviesamentos em determinadas estatísticas, como a produtividade do trabalho, ao sugerir uma deterioração do desempenho, que não corresponde à realidade”, explica Jorge Moreira, manager em Strategy and Transactions Services da EY Angola.