• Post category:Mercado

Angola carece rede de plataformas logísticas próximas dos locais de produção

Angola carece rede de plataformas logísticas próximas dos locais de produção

O principal problema de escoamento de produtos do campo no País é a falta de uma rede de plataformas logísticas próximas dos locais de produção com capacidade para recepção dos produtos, preparação, embalagem e conservação, defende o especialista em sistema logístico e transportes, Luís Moita Santos.

De acordo com Luís Santos, que reagia ao actual plano de apoio aos agentes comerciais responsáveis pelo transporte rodoviário de mercadorias do comércio rural, a rede de plataforma logística possibilitaria (de forma apropriada) o envio dos produtos em veículos de grande capacidade, para os locais de consumo, a preços competitivos e respeitando as condições de segurança alimentar.

O referido plano de apoio aos responsáveis pelo transporte rodoviário de mercadorias, sob tutela do Ministério da Indústria e Comércio, se insere no âmbito do Programa Integrado de Desenvolvimento do Comércio Rural (PIDCR) recentemente aprovado pelo Decreto Presidencial nº 19/21, de 20 de Janeiro.

O programa visa garantir o escoamento de produtos do campo por via da cedência de 500 viaturas de 6,5 toneladas que serão vendidas por prestações aos operadores de transportes de mercadorias. Os operadores beneficiados pagarão uma renda mensal no valor de 200 mil kz em quatro anos acrescido do valor do seguro anual.

Após 48 meses de pagamentos, o Fundo Activo de Capital de Risco Angolano (FACRA) cede a propriedade das viaturas aos operadores com um custo de 9,6 milhões kz. Os recursos arrecadados pelo FACRA serão posteriormente disponibilizadas as cooperativas na modalidade de microcrédito, conforme descrito no Decreto Presidencial.

Para o economista Eduardo Manuel, esta medida vai tornar o FACRA dependente do capital proveniente dos pagamentos dos produtores agrícolas, obrigando à “injecções” de capital, em caso de incumprimento dos mesmos.

O economista sugere que o FACRA deveria criar parcerias internacionais para angariação de fundos e eliminar a exigência de comparticipação aos empresários, para que mais projectos sejam financiados e aumentar o emprego local, regional e nacional.

A par da disponibilização das viaturas, o MindCom lançou um outro concurso para a aquisição de serviços de Gestão de Frotas, por GPS, para os referidos meios rolantes. Para as duas iniciativas o Banco de Desenvolvimento de Angola, BDA, vai disponibilizar 25 mil milhões KZ conforme o decreto.

O Chefe de Departamento de Fomento do Comércio Rural, do MindCom, Evaristo Baptista, este avançou ao Mercado que, com o concurso, se espera aumentar o nível de escoamento dos produtos do campo garantindo renda na economia rural servindo de elo entre os produtores e os diferentes centros de distribuição, transformação e de consumo.

O também e membro da Unidade Técnica de Gestão do Plano de Apoio aos Operadores de Transportes de Mercadorias do Comércio Rural, aponta como vantagem a influencia na redução dos preços dos produtos e do frete, bem como o fim da perda de produtos, uma vez que se vai ter uma frota renovada e nova de automóveis.

As entidades interessadas na obtenção das peças do concurso para a respectiva apresentação de propostas sobre a aquisição das carrinhas bem como para a gestão de frotas, por GPS, devem aceder ao Portal da Contratação Pública, em: http://compraspublicas.minfin.gov.ao