CASA-CE quer recrutar mais de 50 mil militantes em seis meses

CASA-CE quer recrutar mais de 50 mil militantes em seis meses

O novo Secretário Nacional para Mobilização da Convergência Ampla de Salvação de Angola – Coligação Eleitoral (CASA-CE), Nadílson dos Santos Paim, em declaração ao Correio da Kianda, revelou a estratégia e o modelo de mobilização que, doravante, poderão usar este ano até o ano eleitoral de 2022, para triplicar os resultados obtidos nas eleições de 2017. E que nos próximos seis meses poderão mobilizar mais de 50 mil novos militantes.

“Utilizaremos a estratégia e o modelo ‘um mais cinco’, que corresponde numa visão, em que um militante da CASA-CE, em uma semana mobilize cinco cidadãos para aderir as fileiras da coligação e, só assim, poderemos duplicar ou mesmo triplicar os resultados obtidos nas últimas eleições de 2017”, disse o jovem político,

O então mais jovem candidato a deputado, nas eleições gerais de 2017, que tomou posse há duas semanas como novo Secretário Nacional para Mobilização da CASA-CE, disse também que a coligação liderada por Manuel Fernandes, adoptou um outro sistema de mobilização, em que todos partidos coligados, doravante, poderão também, de forma estruturada, mobilizar.

“Anteriormente, só a CASA-CE é que mobilizava e os partidos políticos estavam inexistentes, hoje, face à nova realidade, entendemos que são os partidos políticos que dão fôlego à coligação, os partidos estão a se estruturar e estão a se organizar, recebendo apoio financeiro para que estruturem as suas bases de militantes e também se estruturem. Com isso, poderemos alcançar os resultados desejados”, disse.

Na estratégia de mobilização, Nadílson Paim salientou que a terceira força política em Angola vai continuar a apostar na criação de núcleo, e no famoso “um mais cinco”, que de seguida explica.

“Nós entendemos que, e como se tem dito, que a vida se faz nos municípios. Vamos estender as nossas bases de militantes nestas localidades e o objectivo disso é criar núcleos. Cada militante da CASA-CE tem a responsabilidade de trazer, em cada fim-de-semana, cinco pessoas para a organização, isto em todo país”, destacou.

O Secretário Nacional para Mobilização da CASA-CE, entende que se seguirem esta lógica poderão ter capacidade de mobilizar mais de cinquenta mil militantes em seis meses.

Críticas ao MPLA 

O responsável para mobilização da CASA-CE também teceu consideração sobre as últimas movimentações feitas pelo Secretário Provincial do MPLA em Luanda, Bento Joaquim Sebastião Bento, quando este, nos municípios do Cazenga, Viana e, esta semana, em Cacuaco, distribuiu meios e bens à população. Nadílson Paim considera tal prática como um acto de corrupção eleitoral.

“Aquilo é tudo, menos mobilização, mas sim, aquilo é um acto reprovável e de tamanha corrupção”, finalizou.