• Post category:Club-k

MPLA diz que não precisa de pagar militantes desavindos da UNITA

MPLA diz que não precisa de pagar militantes desavindos da UNITA

O 𝐒𝐞𝐜𝐫𝐞𝐭𝐚𝐫𝐢𝐚𝐝𝐨 𝐝𝐨 𝐁𝐮𝐫𝐞𝐚𝐮 𝐏𝐨𝐥í𝐭𝐢𝐜𝐨 𝐝𝐨 𝐌𝐏𝐋𝐀, tomou conhecimento, pelos Órgãos de Comunicação Social e pelas Redes Sociais, de acusações propaladas pelo Partido UNITA, relativas à instigação dos actos de violência, havidos em Viana, entre militantes daquela Organização Política.

O 𝐒𝐞𝐜𝐫𝐞𝐭𝐚𝐫𝐢𝐚𝐝𝐨 𝐝𝐨 𝐁𝐮𝐫𝐞𝐚𝐮 𝐏𝐨𝐥í𝐭𝐢𝐜𝐨, uma vez mais, informa que nada tem a ver com os níveis de contestação à liderança do Senhor Adalberto da Costa Júnior ou com a convulsão interna que se regista no seio do Partido UNITA e que se vem registando desde a sua eleição para o cargo.

Infelizmente, a incompetência da UNITA para resolver os seus problemas internos, leva-a, de forma recorrente, a socorrer-se do 𝐌𝐏𝐋𝐀 para justificar o absoluto descontrolo em que se encontra.

Já é público e notório que uma parte significativa de militantes da UNITA não se revê na pessoa do seu Presidente e nas formas e métodos por ele usados na condução dos destinos daquele Partido, sendo esse um problema estritamente interno e que só aos membros da UNITA diz respeito.

Os cidadãos mais atentos conhecem os níveis de conflito interno existentes na UNITA, fruto das dificuldades da sua Direcção para resolver problemas que subsistem desde há longos anos.

Imputar essa responsabilidade ao 𝐌𝐏𝐋𝐀 só confirma o total desnorte que se vive nas hostes da UNITA e a sua incapacidade para liderar qualquer processo político.

A culpabilização permanente do 𝐌𝐏𝐋𝐀, face à incapacidade da UNITA de resolver os seus problemas internos, deve ser entendido como o reconhecimento explicito da qualidade de liderança adquirida pelo nosso Partido ao longo do processo histórico angolano.

Acusar o 𝐌𝐏𝐋𝐀 de pagar militantes daquele Partido Político para fazer seja o que for, é também o reconhecimento da vulnerabilidade da UNITA e da sua incapacidade de convencer os seus próprios militantes em relação à forma como conduzem aquele Partido.

O 𝐌𝐏𝐋𝐀 não precisa de pagar militantes desavindos do Partido UNITA para fazer o que quer que seja, porquanto a confusão, a arruaça e o total desrespeito pelo próximo, são a génese, a maneira de estar e o fundamento principal desta formação política, até para a solução dos seus problemas internos.

O 𝐌𝐏𝐋𝐀 não se revê naquelas condutas e demarca-se, em absoluto, de práticas de baixo nível e de absoluta intolerância como as que a UNITA usa e sempre usou na sua estratégia, desde a sua fundação.

O 𝐌𝐏𝐋𝐀 repudia, veementemente, a agressão deliberada feita a Jornalistas e a outros profissionais da Comunicação Social e solidariza-se com os atingidos, desejando-lhes rápidas melhoras e incentivando-os a manterem-se fieis ao dever de informar com verdade e isenção.


O 𝐌𝐏𝐋𝐀 continuará dedicado à sua vida interna e a trabalhar para a solução dos problemas vividos pelo Povo Angolano, com foco na criação de uma sociedade desenvolvida e próspera, assente na defesa da estabilidade política e na sã convivência entre os cidadãos, promovendo a paz , a tolerância, a liberdade, a reconciliação e a unidade nacional.

Luanda, 21 de Maio de 2021

𝐎 𝐒𝐄𝐂𝐑𝐄𝐓𝐀𝐑𝐈𝐀𝐃𝐎 𝐃𝐎 𝐁𝐔𝐑𝐄𝐀𝐔 𝐏𝐎𝐋Í𝐓𝐈𝐂𝐎