Revelado o esquema usado pelo Major Lussaty para desviar bilhões do BNA

Revelado o esquema usado pelo Major Lussaty para desviar bilhões do BNA

Correio da Kianda apurou junto de fonte na Casa de Segurança do Presidente da República, que o dinheiro encontrado em posse do Major Pedro Lussaty, faz parte de um lote desviado, durante o transporte, e que nunca deu entrada nos cofres do Banco Nacional de Angola.

Contrariando o comunicado do BNA, tornado público hoje, quarta-feira, a fonte que temos vindo a citar, avança que Lussaty, comandava uma rede que se dedicava ao desvio de dinheiro durante a transportação do Aeroporto para o Banco Nacional de Angola. Faziam parte desta rede, altos quadros do BNA e da Casa de Segurança do Presidente da República.

A rede comandada por Pedro Lussaty tinha facilidade porque a segurança do Banco Nacional de Angola é assegurada pela Unidade da Guarda Presidencial – UGP.

A fonte do Correio da Kianda, que pediu que não fosse identificado, garante que as transferências feitas pelo “Major mais rico do mundo”, ultrapassam o valor anunciado pelas autoridades,  pelo facto da rede funcionar há já algum tempo.

Quanto as supostas amantes e namoradas que exibiam maços de dólares nas redes socias, a fonte avança que eram usadas como “mulas”, indivíduos que transportam dinheiro ilegalmente (em transferência ou em mão) para outros países, tornando-se assim parte de um esquema de lavagem de dinheiro.

A “Operação Caranguejo”, como foi apelidada pelas autoridades angolanas, é descrita por alguns analistas como a maior fraude da era João Lourenço, que vê-se na obrigação de dispensar o seu Chefe de Segurança, por este ter sido enganado pelos seus mais directos colaboradores, uma falha, que põe em causa a sua capacidade para proteger João Lourenço.