• Post category:Novo Jornal

CASA-CE “congela alguns direitos” do Bloco Democrático

CASA-CE “congela alguns direitos” do Bloco Democrático

A Convergência Ampla de Salvação de Angola – Coligação Eleitoral (CASA-CE), pela voz do seu presidente, Manuel Fernandes, anunciou hoje que “alguns direitos do partido Bloco Democrático (BD) estão congelados” até que esta formação política esclareça a sua posição na coligação.

“O Bloco Democrático faz parte da coligação CASA-CE, mas aliou-se à UNITA e ao projecto político PRAJA- SERVIR Angola. Face à situação, a CASA-CE congelou alguns direitos do BD”, disse ao Novo Jornal Manuel Fernandes, que não avançou quais os direitos congelados.

De referir que, no dia 24 deste mês, a comissão organizadora da IV Convenção Nacional ordinária do Bloco Democrático voltou a adiar o conclave inicialmente marcado para os dias 28, 29 e 30 deste mês, por questões de insuficiência logística.

Uma das primeiras medidas tomadas pela CASA-CE quando o Bloco Democrático se aliou à UNITA e ao PRAJA-Servir Angola foi a suspensão do seu presidente, Justino Pinto de Andrade, das funções de vice-presidente para as questões eleitorais da coligação.

De lembrar que Justino Pinto de Andrade, Adalberto Costa Júnior e Abel Chivukuvuko têm mantido reuniões para a criação de uma Frente Patriótica Unida com o objectivo de desalojar o MPLA do poder em 2022.

E Filomeno Vieira Lopes, candidato à presidência do Bloco Democrático, apelou recentemente ao voto na sua candidatura para que o partido possa reforçar a frente da oposição contra o MPLA.

A CASA-CE foi fundada em 2012 e é uma coligação de seis partidos políticos – Bloco Democrático (BD), Partido Pacífico Angolano (PPA), Partido Apoio para Democracia e Desenvolvimento de Angola – Aliança Patriótica (PADDA-AP), Partido Aliança Livre de Maioria Angolana (PALMA), Partido Nacional de Salvação de Angola (PNSA) e Partido Democrático Popular de Aliança Nacional de Angola (PDP-ANA).