Caso “major Lussaty” pode inibir investidores

Caso “major Lussaty” pode inibir investidores

O líder da CASA-CE afirmou ontem, no Namibe, que o propalado caso do major afecto à Casa de Segurança do Presidente da República, Pedro Lussaty, detido com avultadas somas de dinheiro pelo Serviço de Investigação Criminal (SIC), pode constituir um “factor inibidor” ao investimento estrangeiro no país.

Manuel Fernandes, que efectuou uma visita de trabalho à província do Namibe para constar a situação social e económica da província e revitalizar as estruturas de base da organização, manifestou-se desapontado com o caso. Num acto realizado no Pavilhão Multiuso “Saidy Mingas”, na cidade de Moçâmedes, o político classificou o caso de “pouca-
vergonha para o país”.

 “O caso major Lussaty mina a credibilidade do nosso país e pode inibir os investimentos estrangeiros. Constitui  vergonha total para o país”, afirmou Manuel Fernandes, questionando-se “como é possível num país organizado, avultadas somas monetárias ficarem ao livre arbítrio de um cidadão?”.
Manuel Fernandes recomendou, por isso, um engajamento sério, responsável e patriótico no combate à corrupção, sem perseguição política e sem selectividade.

Para o político, que também é deputado à Assembleia Nacional, “é vergonhosa a real situação em que vive a maioria dos cidadãos, quando  o país é rico”.
O líder da CASA-CE defende a mobilização de investimentos e a implantação de fábricas no país,  para garantir empregos para os jovens.
Manuel Fernandes encorajou todas as forças vivas da Nação a abraçarem a lógica da reconciliação nacional e do perdão mútuo.