• Post category:RFI

Sector de saúde em risco de colapsar

Sector de saúde em risco de colapsar

A falta de profissionais de saúde, medicamentos e stocks de sangue está a afectar as principais unidades hospitalares de Angola. A situação agravou-se com a pandemia de Covid-19 e com os recentes casos de malária e dengue, levando os profissionais de saúde a pedir a intervenção do chefe de Estado para evitar o colapso do sector da saúde.

As principais unidades hospitalares de Angola estão confrontadas com a falta de profissionais de saúde, medicamentos e stocks de sangue. A situação foi denunciada esta segunda-feira, dia em que se assinala a jornada Mundial do Dador de Sangue. Os hospitais de todo o país registam morte por falta de transfusões, devido à falta de dadores.

A situação agravou-se com a pandemia de Covid-19 e com os recentes casos de malária e dengue, levando o Sindicato Nacional dos Médicos de Angola a pedir a intervenção do chefe de Estado, João Lourenço, para evitar o colapso do sector da saúde.

O Sindicato Nacional dos Médicos de Angola alertou igualmente para o aumento da da taxa de mortalidade, exigindo mais atenção ao sector sanitário,apesar da prioridade da covid,19.

De acordo com os profissionais de saúde, os hospitais e centros sanitarios registam mais de cinco mortes por dia. Os serviços de pediatria de Luanda, já atingiram a cifra da morte de 18 crianças num dia.

Na semana passada, o chefe de Estado angolano autorizou a despesa e abertura do procedimento de contratação simplificada para construção, apetrechamento e fiscalização de hospitais nas províncias de Benguela, Malanje e Lunda Norte, no valor de 154 milhões de euros.