Comissão acusa Lucas Ngonda de tentar inviabilizar congresso da FNLA

Comissão acusa Lucas Ngonda de tentar inviabilizar congresso da FNLA

A denúncia foi feita ontem, em Luanda, pela coordenadora encarregue de organizar o congresso da Frente Nacional para Libertação de Angola (FNLA), Amélia Florinda António, que disse que foram impedidos pelo segurança da sede do partido, alegando que foram orientados pelo actual presidente e candidato Lucas Bengui Ngonda, a não terem acesso ao local dos trabalhos.

A responsável do conclave da FNLA comunicou ao presidente Lucas Ngonda que a comissão, ora criada, teria de começar a trabalhar nesta quarta-feira, 23, conforme consta na carta direccionada a Ngonda e aos membros da comissão preparatória indicados para organizar o evento.

“A comissão chegou hoje bem-disposta para trabalhar e quando nos fizemos presentes na sede do partido encontramos um obstáculo que nos diziam que não podíamos entrar no estabelecimento por ordem superior”. E os seguranças no local afirmaram que foram orientados pelo presidente Lucas Ngonda.

Já um outro membro da comissão organizadora disse que a comissão liderada pela irmã Florinda António é a que tem a legitimidade de conduzir todos os actos preparatórios da realização do congresso que decorre no dia 16, 17 e 18 de Agosto do corrente ano. “Para o nosso espanto, posto no local para darmos início aos trabalhos, encontramos as portas fechadas e por ordem superior fomos impedidos a entrar na sede”, disse.

O acórdão do TC nº 691/2021, limita o exercício de qualquer acto do actual presidente sobre a direcção da FNLA, os membros do partido fundado por Hólden Roberto, consideram que tal atitude desrespeita o despacho emitida pelo Tribunal Constitucional.