Indústria aposta na farinha de mandioca para produção de pão

Indústria aposta na farinha de mandioca para produção de pão

O ministro da Indústria e Comércio, Victor Fernandes, afirmou, em Malanje, que o sector pretende canalizar 30% da mandioca produzida no país, para a produção de pão e produtos de pastelaria.

Esta medida, adiantou, visa dar maior aproveitamento à mandioca, definida pelo Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) como alimento do século XXI.

Victor Fernandes, que falava à margem do primeiro Congresso Internacional da Mandioca, que a cidade de Malanje acolheu, salientou que a concretização da intenção implica a reactivação do parque industrial rural do município de Cacuso (em Malanje), para a produção de pão, bolos e outros alimentos, de forma experimental e estratégica.

Disse que se pretende também diversificar a dieta alimentar dos cidadãos, bem como promover a produção, industrialização e comercialização da mandioca e seus derivados, pelo que o congresso afigura-se importante para a divulgação das zonas de maior produção nacional do produto, oportunidades de financiamento da sua cadeia de valor, agro-industrialização e exportação de excedentes.

Realçou que o evento está alinhado ao Plano Integrado de Desenvolvimento do Comércio Rural (PIDCR), concernente à promoção dos bens nacionais, com vista a empoderar as famílias camponesas para o aumento das suas rendas, mitigando os índices de pobreza da população, bem como proporcionar um ambiente de negócios que atraia investidores privados.

“Auguramos, para tal, dispor das linhas de financiamento da cadeia de valor da mandioca, particularmente de instituições como o Banco de Desenvolvimento de Angola, Fundo Activo de Capital de Risco, Programa de Desenvolvimento da Agricultura Comercial, Projectos de Apoio ao Crédito, entre outros, e potenciar a oferta de exportação e consequente captação de divisas”, referiu.

Na ocasião, o ministro apelou aos governos provinciais e organismos afins, no sentido de contribuírem com iniciativas, que concorram para a industrialização e transformação cada vez mais da mandioca em produtos consumíveis no seio das famílias.