• Post category:Novo Jornal

Joana Lina diz que não foi fácil governar Luanda e que “há muitos choques e interesses”

Joana Lina diz que não foi fácil governar Luanda e que “há muitos choques e interesses”

A ex-governadora da província de Luanda, Joana Lina, disse esta sexta-feira,02, na passagem da pasta à nova governadora, Ana Paula de Carvalho, que não é fácil governar Luanda por ser a província onde está situada a sede da administração do Estado, cujas resoluções dos problemas chocam com vários interesses, que nem sempre convergem para a estabilidade dos munícipes.

“Há problemas cuja resolução choca com vários interesses, o que nem sempre converge para a estabilidade e o bem-estar dos munícipes de Luanda”, afirmou.

Segundo Joana Lina, a sua gestão deu o seu máximo na governação da província de Luanda e sai com a consciência tranquila do GPL.

A governadora cessante afirmou ainda que há muitas pessoas influentes em Luanda, junto da estrutura central do Estado que podem ajudar a resolver os problemas da província, por isso pediu que ajudem a nova governadora.

“A todos aqueles que têm e possam exercer alguma influência, que o façam sempre no sentido positivo e pensando na resolução dos problemas que ainda afligem os munícipes de Luanda”, salientou Joana Lina. E acrescentou: “agora sou sua munícipe”.

Já a nova governadora de Luanda, Ana Paula de Carvalho, reconheceu que não é fácil governar Luanda e afirmou ser uma grande responsabilidade que tem sobre os ombros.

” Sei quão exigente é governar esta província. E no limite das minhas capacidades tentarei, com o vosso apoio, fazer com que a nossa cidade seja uma referência, no que diz respeito à governação e ao bem-estar do cidadão”, disse.

Ana Paula de Carvalho assegurou ser importante ter uma governação participativa e muito próxima dos cidadãos para responder os anseios da população.

A nova governadora diz conhecer os grandes problemas da província de Luanda e prometeu tudo fazer para resolvê-lo.

“Com a ajuda de todos e trabalho, teremos uma Luanda melhor”, disse a nova número um do GPL.