Luanda tem seis ‘novas’ operadoras

Luanda tem seis ‘novas’ operadoras

Número de operadoras aumentou desde 2019. Tura e SGO deixaram de operar e deram lugar a outras. Governo vai reforçar os transportes rodoviários e anuncia o regresso dos ‘Minguitos’.

Luanda mais do que duplicou o número de operadoras de transportes públicos urbanos, passando de quatro, em 2019, para as actuais nove.

Há dois anos, operavam em Luanda, a Tcul, empresa pública, e as privadas Macon, Tura e Angoaustral, que juntas tinham disponíveis 214 autocarros. Uma quinta, a SGO, havia desaparecido antes.

O Ministério dos Transportes disponibilizou, entretanto, novos autocarros para as operadoras e realizou um concurso público para a entrada de novas empresas, como explicou o director provincial dos Transportes Tráfego e Mobilidade Urbana de Luanda, Filipe Comandala, durante a apresentação do projecto do Metro de Superfície de Luanda. 

Assim com a saída em cena da Tura e da SGO, por problemas económicos, entraram as operadoras Rosalina, Camcom, Cidralia,  Strang, Impala e Angoreal. Esta última já manobrava transportes urbanos há muitos anos, mas não fazia parte da lista das empresas operacionais registadas pelo Governo Provincial de Luanda. 

A província passou então de 214 para mais de 500 autocarros, número considerado “ainda insuficiente” para as necessidades da capital, estimadas em sete mil viaturas.

O número de autocarros é controlado pelo sistema de bilhética. Filipe Comandala explica que as operadoras podem ter outros autocarros, mas não estão controlados pelo sistema de bilhética. E os mais de 500 autocarros transportam, em média diária, mais de 336 mil passageiros.

Subvenções vão continuar

As subvenções nos transportes vão continuar, como acontece em outras partes do mundo, garante Filipe Comandala. A mudança vai residir no controlo e pagamento do que é realmente transportado, assegurado pelo novo sistema de bilhética em fase experimental.  “A implementação do sistema de bilhética veio revolucionar o sistema dos transportes públicos, porque no passado era como se fosse o jogo do ‘gato e o rato’. Os operadores fingiam que transportavam e nós fingíamos que acreditávamos. Eles diziam que transportavam mil e não tínhamos como aferir”, explicou Filipe Comandala

O novo sistema terá sido recebido com “resistência” pelos operadores, mas, segundo o GPL, já há resultados que passam “por um melhor controlo” e pelo aumento do rendimento das operadoras. 

‘Minguitos’ regressam

O Ministro dos Transportes anunciou que Luanda vai receber novos autocarros, “em breve”. Ricardo Viegas d’Abreu anunciou o regresso dos autocarros articulados, os famosos ‘Minguitos’, que voltam a circular em Luanda 28 anos depois. Deverão entrar em acção 923 destes autocarros.