UNITA defende contagem do voto nas assembleias

UNITA defende contagem do voto nas assembleias

O secretário provincial da UNITA em Malanje, Mardanês Calunga, defendeu, domingo, uma contagem dos votos a partir das assembleias, para garantir a transparência do processo eleitoral.

Mardanês Calunga, que falava no acto político em alusão ao 87º aniversário natalício do fundador da UNITA, Jonas Savimbi, assinalado a 3 de Agosto, alertou que o escrutínio fora da assembleia de voto pode facilitar a fraude eleitoral.

O político referiu que, em caso de vitória eleitoral, a UNITA vai implementar as autarquias para uma governação mais participativa, transparente e inclusiva.

 Mardanês Calunga frisou que o partido está a unir diversas forças políticas e a sociedade civil para uma melhor fiscalização do próximo pleito eleitoral no país.

Sem adiantar números, o político indicou que a UNITA regista um crescimento considerável na província de Malanje, tendo solicitado aos militantes a desenvolver esforços de forma inteligente e por via do diálogo vencer as eleições.
Oposição construtiva

A secretária provincial da UNITA no Huambo afirmou, sábado, que a consolidação do processo de democratização no país passa por uma “oposição construtiva e cautelosa”, que contribui para um ambiente de tranquilidade das populações e militantes das diversas formações políticas.      

Albertina Navita Ngolo, que falava na abertura da conferência provincial sobre “dimensões política, social, cultural e dignificação da mulher” do fundador da UNITA, Jonas Savimbi, reforçou a tese de democratização, afirmando que “a paz é o único fim que nos levanta para representar os cidadãos”. Por isso, defendeu que este percurso deverá ser baseado “na abertura de coração e partilha entre as instituições” para melhor servir a sociedade.