• Post category:VOA

Presidente angolano inteira-se pela primeira vez da realidade da província do Kwanza Norte

Presidente angolano inteira-se pela primeira vez da realidade da província do Kwanza Norte

Depois de duas tentativas, finalmente nesta-terça, 14, o Chefe de Estado angolano iniciou uma visita de trabalho de dois dias à província do Kwanza Norte.

João Lourenço, que presidiu a reunião do Governo local, no início da visita, foi informado que a província com 10 municípios necessita de intervenção urgente para minorar os problema ligados à falta de água canalizada, extensão da rede eléctrica em toda extensão territorial, estradas, infra-estruturas e para a retoma das actividades económicas.

“Anunciada por mais de uma vez, mas que por razões de vária ordem não foi possível realizá-la antes, desde já pedimos a compreensão das autoridades e da população do Kwanza Norte por este facto”, justificou Lourenço.

O governador Adriano Mendes de Carvalho acredita que com a visita do Presidente muitos projectos serão concluídos em breve.

Mendes de Carvalho pediu ajuda de Lourenço par “a invasão de elefantes na Beira Alta, comuna da Cerca, comuna de Cavunga, Ngonguembo e outros pontos onde os elefantes fazem grandes estragos”.

Em declarações à imprensa, o governador ainda reconheceu que algumas obras do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM) “estão atrasadas por falta de verba”, mas acrescentou que “a novidade é para o próximo ano a expansão da rede eléctrica em todos os municípios e comunas da região”.

Os quatro ministros de Estado, os ministros da Administração do Território, Marcy Lopes, do Interior, Eugénio Laborinho, das Finanças, Vera Daves , da Indústria e Comércio, Victor Fernandes, entre outros, acompanham o Presidente.

João Lourenço tinha agendado ainda para hoje audiências separadas a entidades eclesiásticas, autoridades tradicionais, empresários e líderes juvenis.

Na quarta-feira, 15, segundo e último dia em Ndalatando, o Presidente da República vai inspeccionar o grau de execução de um projecto habitacional de auto-construção dirigida para 500 residências em curso no quilómetro 11, nos arredores daquela cidade.