Angola recebe três milhões de doses de vacinas num só dia

Angola recebe três milhões de doses de vacinas num só dia

O país recebeu, ontem, de uma só vez, três milhões de doses de vacinas da Sinopharm, adquiridas pelo Governo, tendo o Presidente João Lourenço visitado o local onde estão armazenadas, no Km-30.

Até antes do final do ano, o país prevê receber mais sete milhões e setecentas mil doses da mesma vacina, também adquiridas pelo Executivo.

A visita ao Km-30 serviu para constatar as condições de acomodação das vacinas contra a Covid-19, provenientes da China.

João Lourenço percorreu o interior das naves da Central de Compras e Meios Médicos de Angola (CECOMA), localizadas no Centro de Logística e Distribuição (CLOD) de Lu-anda, no Km-30. O Chefe de Estado recebeu explicações detalhadas sobre o processo de descarga, transportação, acondicionamento, gestão e distribuição das vacinas pelo país. No princípio da noite, o Presidente da República visitou o edifício CIF, onde funciona a Comissão Interministerial de Combate à Covid-19.

Em declarações à imprensa, no final da visita, o Chefe de Estado destacou o facto de ter sido a primeira vez que o país recebeu uma quantidade tão grande de vacinas de uma só vez. “Estamos a falar de três milhões de vacinas da Sinopharm, com a perspectiva de, até antes do fim do ano, recebermos mais sete milhões e setecentas mil doses da mesma vacina, adquiridas pelo Executivo”, sublinhou.

O Presidente da República entende ser, esta, a solução primária para o problema da Covid-19, sem minimizar as outras medidas secundárias.

“O Executivo está apostado em fazer essa vacinação massiva”, disse, reafirmando a necessidade de o país cumprir a meta de vacinar, até ao final do ano, cerca de 15 milhões de cidadãos maiores.

“Meio a brincar estou a dizer que hoje é o meu dia Covid. Visitei o armazém onde estão depositadas as vacinas que chegaram hoje e, para fechar o dia, entendi que devia, também, visitar o edifício onde vem funcionando, e com algum sucesso, desde o início desta luta que estamos todos a travar, a direcção da Comissão Interministerial de Combate à Covid-19”, esclareceu.

Adesão aos postos

João Lourenço reconheceu que o grau de adesão da população à vacinação vem melhorando a cada dia, com a garantia de que daqui para frente não faltarão vacinas.

“Acreditamos que passará a haver maior confiança e as taxas de adesão vão subir significativamente a partir de agora”, salientou. Prometeu fazer esforços para aumentar o número de postos de vacinação em todo o país, concentrando a maioria em Luanda, por ter cerca de um terço da população.

“Vamos fazer este esforço”, afirmou, pedindo aos profissionais da Saúde envolvidos no processo a fazer o último sacrifício. “Estamos próximos da meta. Temos que fazer o último sacrifício, continuar a trabalhar com afinco para garantir que grande parte da nossa população seja imunizada e com isso salva do vírus Sars-Cov-2”, apelou.

João Lourenço apelou também a população a aparecer, de forma massiva, nos postos de vacinação, manifestando confiança de que as grandes filas que hoje se registam vão ficar cada vez mais reduzidas à medida que se for vacinando, e sobretudo quando aumentarem os números dos postos de vacinação.